Faixa publicitária
Homilia no Domingo de Páscoa PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Documentos - Homilias 2015

 

1.Neste solene domingo da Páscoa ouvimos a Palavra de Deus que dá sentido à nossa celebração e oferece luz à nossa vida de ressuscitados.

Vale a pena fazer festa quando o Deus da vida não lhe é alheio, quando os dias que despertam e adormecem caminham de olhos erguidos para Deus. Vale a pena celebrar a ressurreição porque cada vez que o fazemos, Deus faz festa connosco.

A manhã do primeiro dia da semana deixa transpirar um ambiente novo, segundo narra S. João (Jo 20, 1-9). Ao desânimo do Calvário sucede o gesto diligente de Madalena, de Pedro e do discípulo João. Ao silêncio da morte chorada responde o hino festivo da vida nova do Ressuscitado. Ao túmulo fechado corresponde agora um túmulo de pedra retirada e vazio. A aurora do dia que começa a despontar junta-se à alegria da feliz notícia da ressurreição.

 

Neste domingo de Páscoa voltemos o olhar para a Cruz, agora elevada à condição de trono e que preside ao espaço litúrgico da nossa Catedral. Hoje ela é cruz vitoriosa, porque aquele que morreu na cruz ressuscitou para que ressuscitem com Ele todos os crucificados. Lembro um antigo e sábio texto de S. Leão Magno: “ Ó admirável poder da Cruz! Ó inefável glória da Paixão! Nela o tribunal do Senhor, o julgamento do mundo, o poder do crucificado. De fato atraíste tudo a Vós, Senhor…” (Sermão LVII).

O Senhor não passa em vão nas nossas vidas de dor e não esquece nenhum daqueles com quem se cruzou no caminho. Os que acompanharam Jesus para o Calvário e O viram suspenso na cruz, foram também as primeiras testemunhas do túmulo vazio. A eles devemos hoje a boa notícia da ressurreição. O Ressuscitado arrasta-nos a partir de agora na esteira da sua vida nova. A sua Páscoa é chamada a tornar-se a nossa Páscoa.

Dou-Te graças, Senhor, por todos quantos, ao longo das suas vidas, semeiam palavras de estímulo e de bondade em anúncios festivos da Páscoa e da Ressurreição!

Dou-Te graças, Senhor, pelos que acreditaram diante da cruz que o amor é perdão e que a graça divina é misericórdia e por isso acolhem com bondade de pai o filho que regressa e volta à mesa do reencontro e à festa da Páscoa!

Dou-Te graças, Senhor, pela Tua Mãe e pelas nossas mães que não se afastam da cruz dos seus filhos e nas vigílias da noite velam por nós para que amanheçam em tons de Páscoa todos os dias da nossa vida.

Dou-te graças, Senhor, por quantos aliviam o peso que aflige os seus irmãos e fazem da mansidão, da misericórdia e da alegria partilhada o adro do encontro…e a porta da Páscoa!

Dou-Te graças Senhor por todos os que vivem a graça da conversão e a santidade da reconciliação, porque só este é o caminho da Páscoa!

Dou-te graças, Senhor, porque Tu, Senhor, és o alimento vivo de todos os dias, a dizer-nos que foi na Eucaristia que os discípulos de Emaús Te reconheceram, vivo e ressuscitado, na tarde deste dia de Páscoa.

Dou-te graças, Senhor, porque é tão bela a vida dos cristãos renascidos pelo batismo para a vida nova da Páscoa e porque é tão urgente esta missão que de cada um de nós faz mensageiros da alegria do evangelho nascida da Páscoa de Jesus!

3. Façamos da Páscoa uma profecia de um mundo melhor onde haja lugar para Deus no coração de cada um de nós.

Façamos do tempo pascal um anúncio que leve a alegria da Páscoa a outras pessoas, a novas terras, a todos os povos e se traduza em novas gramáticas de pedagogia pastoral, mais criativa, mais próxima, mais atenta aos que vivem longe de Deus.

As festas da catequese, a celebração dos sacramentos mais frequente neste tempo, o dia diocesano da juventude e do escutismo, a semana de oração pelas vocações, o ambiente mariano do mês de maio, que, neste ano, vamos valorizar na dinâmica do nosso Plano de Pastoral diocesano, a bênção dos finalistas e tantas outras iniciativas podem ser uma oportunidade de abertura da Igreja ao mundo e de acolhimento fraterno e evangelizador de tantos que a partir destes momentos e por ocasião destas celebrações se aproximam da Igreja e abrem a porta do seu coração a Cristo ressuscitado.

 

Vós, irmãos e irmãs, e convosco milhares de cristãos de toda a Diocese, que ao longo desta Semana Maior vivestes intensamente na liturgia digna, verdadeira e bela desta Catedral, os mistérios da paixão, morte e ressurreição de Cristo, sois exemplo do caminho pascal que devemos percorrer.

Quero, conjuntamente com os meus Irmãos Bispos, desejar à Cúria Diocesana, ao Cabido Portucalense, aos Seminários, aos sacerdotes, seminaristas, diáconos, consagrados (as) e leigos(as); aos responsáveis e membros de todos os Serviços e Secretariados diocesanos, aos movimentos apostólicos e instituições; às famílias, às crianças, aos jovens, aos idosos, aos doentes; aos que vivem momentos de provação e de privação pela falta de família, de trabalho, de saúde e de liberdade uma Santa Páscoa.

Recorro a este belo poema de um irmão sacerdote para espelhar os meus sentimentos e exprimir os meus votos pascais:

Tu pedes, Senhor, o meu barro frágil para levar aos homens a frescura da Tua água; que eu a sirva límpida e gratuita, de modo que quem beber saiba que Tu és a água e a nascente.

Tu pedes que erga nas praças as palavras no silêncio aprendidas; que eu seja fiel, para que quem ouvir Te saiba o caminho…

Confunde-me a Tua misericórdia que me aceita: espelho tão baço para a Tua luz; eira tão estreita para servir aos irmãos o trigo do Teu amor de Ressuscitado!” (P. João Aguiar, Transparências , p. 9)

Uma Santa e Feliz Páscoa. Aleluia! Aleluia!

 

Porto, Sé Catedral, 5 de abril de 2015

António, Bispo do Porto

 

 

 
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Quer receber as nossas novidades no seu e-mail? Subscreva a nossa Newsletter especificando o seu endereço de e-mail:

D. António Francisco dos Santos fala sobre o padre Joaquim Cunha, sacerdote mais idoso de Portugal

Formato ICS (Google, Outlook, iCal, ...)
2017-08-21 15:07:09
Decreto Sobre as Virtudes do Servo de Deus ANTÓNIO JOSÉ DE SOUSA BARROSO Bispo do Porto e Missionário
2017-07-25 11:34:15
Texto
2017-07-20 17:35:49
Word
2017-07-20 17:35:10
Faixa publicitária
Faixa publicitária


© Diocese do Porto, Todos os Direitos Reservados.