Faixa publicitária
Homilia na Jornada Diocesana do Escutismo - São Jorge 2015 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Documentos - Homilias 2015

 

1. Celebramos anteontem, dia 23, o dia litúrgico de S. Jorge, padroeiro do Escutismo Católico. Esta Jornada do escutismo católico da nossa Diocese assume particular relevância, como momento de vida, de fé e de missão dos membros do CNE da Região do Porto.

 

 

Saúdo-vos, caríssimos escuteiros da nossa Diocese, aqui reunidos em tão grande número, neste campo aberto em torno do altar da Eucaristia. Saúdo as vossas famílias, que se juntam a nós nesta manhã, em Ovar. Merecem-me uma particular palavra de saudação e de gratidão o Assistente Diocesano, Padre Renato Poças e o Chefe Regional, Hugo Carvalho. Saúdo-vos, irmãos diáconos e presbíteros.

 

 

Somos uma Diocese e uma Região com numerosos Agrupamentos ativos e vários em formação. Vindos de toda a Diocese, vencestes distâncias e descobristes nos horizontes desta terra da ria, na Vigararia de Ovar-Espinho, o espaço ideal para uma iniciativa deste alcance, que aqui reúne hoje 5.500 escuteiros.

 

Ovar é uma terra nascida à beira da ria de olhos voltados para o mar. Aqui sentimos e vivemos a alegria e a festa, tão próprias destas gentes da ria e do mar. aqui encontramos jovens felizes e cristãos que nos devem fazer sonhar tempos novos, onde um mundo melhor seja a herança do vosso futuro, caríssimos escuteiros.

 

“Há muito, muito tempo, diz-nos o imaginário deste Dia, surgiu a necessidade de criar um grupo de pessoas que, por terem capacidades extraordinárias de adaptação, perseverança, amizade, solidariedade e o arrojo de ir mais além e ser mais e melhor se tornaram os guardiões de S. Jorge”. Surgiram depois os cavaleiros de rumos e as alcateias repletas de boa disposição e sabedoria e comunidades que têm a destreza de construir novos mundos” (Do imaginário deste Dia de S. Jorge).

 

Estamos convosco, queridos escuteiros, e queremos dizer-vos que a Igreja do Porto está aqui, presente em cada um de nós e na comunhão da fé e da vida que aqui nos reúne.

 

2. O C.N.E. é um movimento de escutismo católico, alicerçado nos princípios recebidos do fundador, Baden Powell, e nos valores perenes da nossa fé. Os compromissos assumidos, as promessas feitas, a formação adquirida e a participação consciente na vida das comunidades cristãs dizem-nos esse modo inconfundível de sermos escuteiros cristãos e afirmam o espírito escutista que nos identifica.

 

No mundo global em que vivemos torna-se necessário e urgente afirmar o respeito pela natureza, o espírito de equipa, o imperativo da fraternidade humana, o valor da fé e a primazia da comunhão entre todos, que o escutismo nos oferece. A Igreja é chamada a prestar este contributo à Humanidade e a cumprir esta missão. Vós jovens, não sois um problema nem para a Igreja nem para a Sociedade. Sois pessoas com dignidade, com imensas qualidades e com muitos projetos e sonhos. Importa dar-vos tempo, espaço e voz. Importa que a Igreja, de que sois membros conscientes, saiba caminhar convosco.

 

Quantas comunidades devem o melhor de si mesmas às iniciativas inspiradoras, ao trabalho generoso e á participação ativa dos escuteiros plenamente integrados na vida e na ação pastoral das suas comunidades?

 

3. A Palavra de Deus, hoje proclamada, é um convite a “anunciar a alegria do Evangelho”, cumprindo o mandato de Jesus ressuscitado entregue aos onze apóstolos, antes da sua ascensão aos Céus. E os apóstolos “partiram a pregar por toda a parte e o Senhor cooperava com eles, confirmando a sua palavra com os milagres que a acompanhavam”. ( Mt 16, 15-20).

 

A missão da Igreja consiste precisamente nisto: estar no lugar onde se ouvem os clamores do Povo e anunciar a boa nova do Evangelho para que ao Povo que caminha nunca falte o alimento da verdade, aprendida na escola dos valores cristãos e o alimento da vida que a Eucaristia nos dá.

 

A missão da Igreja exprime-se de modo tão belo no testemunho de vida, na disponibilidade de tempo, na seriedade do trabalho, no esforço permanente de formação e no exemplo de comunhão eclesial diariamente afirmados pelos dirigentes e assistentes do C.N.E. na nossa Região. A Diocese do Porto conta convosco neste esforço de renovação pastoral que está a empreender para que façamos da “alegria do Evangelho a nossa missão”

4. Estamos a viver a 52.ª semana de oração pelas vocações. Cumpre-nos sair ao encontro dos jovens e semear a alegria da vocação, para que a seu tempo se possa colher com abundância. O Papa Francisco, na sua mensagem para esta semana, convida-nos e convoca-nos para uma experiência de êxodo como paradigma da vida cristã. Esta dinâmica de êxodo rumo a Deus e à Humanidade, tão própria do espírito e da prática escutista, enche a vida de alegria e de significado.

 

5. Que Nossa Senhora, Mãe da Igreja e nossa Mãe, vos ajude, caríssimos escuteiros, a descobrir o sentido da vida e o valor da fé e S. Jorge, nosso padroeiro, vos ensine que é sempre Deus que nos guia e alimenta de esperança e de coragem em todas as etapas do nosso caminho, para que estejamos: «Sempre alerta para servir»

Ovar 25 de abril de 2015

António Francisco, Bispo do Porto

 
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Quer receber as nossas novidades no seu e-mail? Subscreva a nossa Newsletter especificando o seu endereço de e-mail:

Missa da Peregrinação diocesana do Porto de 9 de Setembro 2017

Angelus TV

rito da coroa / pegada / preces
2017-11-29 11:43:29
Vigília
2017-11-02 17:36:10
Rosário
2017-11-02 17:35:48
Áudio
2017-11-02 17:34:38
Faixa publicitária
Faixa publicitária


© Diocese do Porto, Todos os Direitos Reservados.