Faixa publicitária
Homilia no Dia mundial das Missões 2015 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Documentos - Homilias 2015

1. Reunimo-nos em dia de domingo, como comunidade cristã para celebramos Eucaristia, mistério da nossa fé e memorial da paixão, morte e ressurreição de Jesus.Neste domingo, Dia mundial das Missões, somos convidados a alargar o horizonte da nossa oração a todos os lugares da terra onde vivem homens e mulheres que entregam a sua vida dada por inteiro à “doce e reconfortante alegria de evangelizar”.

Estamos em comunhão íntima com o Papa Francisco que escolheu este domingo para, neste mesmo momento, em Roma, canonizar Luís e Zélia Martin, pais de Santa Teresinha do Menino Jesus, padroeira das Missões.

Em pleno Sínodo sobre a vocação e missão da Família, o Papa Francisco apresenta-nos o exemplo singular de santidade de uma família e de um casal, pais de nove filhos.

Viemos aqui, a esta bela igreja do antigo mosteiro de Leça do Balio, para agradecermos a Deus a vida, o ministério e o testemunho de missão do Padre Pedro Gradim, nosso Pároco.

2. A Palavra de Deus, agora proclamada, dizia-nos sem deixar lugar para dúvidas, espaço para hesitações ou margem para calculismos que “o Filho do Homem não veio para ser servido mas para servir e dar a vida pela redenção de todos” ( Mc 10, 35-45).

Sabemos que na lógica do interesse e diante das seduções mundanas todos somos tocados pela ambição de sermos servidos. Assim aconteceu com Tiago e João, discípulos de Jesus. Assim acontece connosco! Precisamos de fazer um esforço diário de conversão, purificando os nossos desejos e vencendo as nossas ambições. Necessitamos todos de nos abrirmos à simplicidade de coração que acolhe a Palavra de Deus e aprende a viver segundo o exemplo de Jesus. Sabemos que muitos o têm feito ao longo da história da Igreja e do Mundo. Sabemos, também, que muitos o fazem hoje conseguindo que a lógica da ambição mundana dê lugar à disponibilidade evangélica diante da missão a que Deus diariamente nos chama.

Hoje, como no tempo de Jesus, a Igreja é chamada a ouvir o que Deus lhe quer dizer através dos simples e dos pobres, dos humildes e dos puros de coração, dos mansos e dos misericordiosos, dos justos e dos construtores da paz. É aí que encontramos os que melhor servem a Humanidade. É neles que descobrimos a melhor escola do serviço aos outros. São esses os que nunca se recusam a dar a vida por inteiro, na alegria, na generosidade e na disponibilidade.

3. Não se nasce ensinado para servir e para dar a vida. Mas aprende-se a servir e a dar a vida. E felizmente não nos faltam escolas onde se aprenda a servir e a dar a vida.

A família é essa primeira escola. É certamente a melhor escola! Lembremos hoje, com particular afeto, respeito e gratidão as nossas famílias e todas as famílias. Estamos conscientes das dificuldades de muitas famílias. Mais necessário se torna acolhermos e compreendermos cada uma das famílias e cada um dos seus membros nas suas mais diversas situações e etapas da vida.

A sociedade em que vivemos tem pessoas que são exemplo de serviço e nos ensinam a servir e a dar a vida pelos outros. A sociedade tem espaços e lugares dados à educação, onde os valores da disponibilidade e da generosidade para a missão se aprendem e se ensinam. A sociedade tem desafios pela frente que nos dizem que somente os que estão preparados para servir e para dar a vida podem ser chamados a governar-nos, porque só eles sabem e conseguem trabalhar pelo bem comum, pela justiça social e por um futuro melhor para todos, sem procurar vantagens ou ceder a oportunismos.

A Igreja transporta consigo a Palavra e a vida de um Deus, cheio de bondade e de ternura, que se fez próximo de nós no ensinamento do Mestre, no exemplo dado por Jesus e no testemunho de homens e mulheres que incarnaram de forma exemplar este imperativo evangélico de que “quem entre vós quiser tornar-se grande será vosso servo, e quem quiser entre vós ser o primeiro será o escravo de todos” (Mc 10, 35-45). São felizmente tantos, aqueles que, no silêncio discreto da vida como pais e mães, agentes de pastoral, voluntários generosos, leigos, consagrados, ministros ordenados e muitos servidores da causa pública, dão a vida por inteiro a servir os outros com generosidade e com entusiasmo.

A Igreja está consciente de que só é possível cumprir este imperativo de serviço se “seguirmos o Senhor Jesus”. “A missão é uma paixão por Jesus Cristo”, lembra-nos o Papa Francisco na mensagem para este Dia mundial das missões. A Igreja conhece por experiência vivida como está intimamente ligado a esta missão o despojamento das coisas e o desprendimento dos nossos interesses pessoais para darmos lugar a Deus e àqueles a quem ele nos envia a servir. “A paixão do missionário é o Evangelho”, volta a dizer-nos o Papa Francisco, na mensagem para o dia de hoje. E os destinatários privilegiados da evangelização são os pobres, os humildes e os doentes, aqueles que nada podem retribuir.

4. O chão que os cristãos habitam nunca será o chão das seguranças, sempre passageiras, mas sim o chão da confiança. É este chão da confiança em Deus e na Humanidade que tem de se transformar em porta aberta para os refugiados, casa a habitar pelos sem-abrigo, mesa posta para os que não têm pão, família alargada aos que procuram compreensão e misericórdia e comunidade viva capaz de fazer da “Alegria do evangelho a sua missão”. É isso que sentimos na nossa Comunidade de Leça do Balio, que hoje agradece com acrescida alegria o ministério generoso, a entrega permanente e o zelo apostólico do nosso Pároco, Padre Pedro Gradim de Sá Mourão.

É isso que pedimos, também, a Deus para todos que nos acompanham através da Rádio Renascença. Que a Eucaristia que todos celebramos conceda sobretudo aos doentes, aos idosos e àqueles para quem o domingo é tempo de trabalho para servir o bem comum ou para cuidar dos outros, a doçura da palavra de Deus, o conforto do alimento do Corpo de Cristo e a certeza da nossa comunhão fraterna.

5. Que Maria, a Mãe de Jesus e nossa Mãe, nos abençoe nos nossos propósitos e nos acompanhe nesta missão de servir, a que Jesus hoje nos convida.

Igreja do Mosteiro de Leça do Balio, 18 de outubro de 2015

António, Bispo do Porto

 
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Quer receber as nossas novidades no seu e-mail? Subscreva a nossa Newsletter especificando o seu endereço de e-mail:

Missa da Peregrinação diocesana do Porto de 9 de Setembro 2017

Angelus TV

D. António Maria Bessa Taipa em entrevista à Voz Portucalense
2017-10-11 16:12:03
Powerpoint + PDF
2017-10-09 11:26:12
Recursos gráficos
2017-09-19 13:45:08
Formato ICS (Google, Outlook, iCal, ...)
2017-08-21 15:07:09
Faixa publicitária
Faixa publicitária


© Diocese do Porto, Todos os Direitos Reservados.