Faixa publicitária
Nota Pastoral sobre as Ordenações de Diáconos e de Presbíteros PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Documentos - Notas Pastorais

Misericordiosos como o Pai

1.Celebraremos no próximo dia 10, segundo domingo de julho, na Sé do Porto, às 16 horas, querendo Deus, as ordenações de cinco presbíteros e de quatro diáconos a caminho do presbiterado.

Dos cinco presbíteros, quatro vão pertencer ao Presbitério do Porto e um à Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos); dos quatro diáconos, três destinam-se à Igreja do Porto e um à Sociedade Missionária da Boa Nova.

Serão ordenados presbíteros os diáconos da Diocese do Porto, Diogo José de Oliveira Barbosa Pereira, de Valongo, Filipe Gonçalo da Silva Azevedo, de Fajozes, Vila do Conde, Júlio Dinis Osório de Castro Taveira Lobo, de Espinho, Vítor Emanuel Dionísio Ramos, de Vilar do Pinheiro, Vila do Conde e o diácono Antonino de Sousa, natural de Carvalhosa, Paços de Ferreira, que pertence à Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos).

Serão ordenados diáconos para a Igreja do Porto: Bruno Miguel Bulcão Ávila, de Mafamude, Vila Nova de Gaia, Fernando Gomes Perpétua Moreira, de Sobrado, Castelo de Paiva, Marco Paulo dos Santos Alves, de Medas, Gondomar enquanto Constantino António Epalanga, de nacionalidade angolana, se destina à Sociedade Missionária da Boa Nova.

Demos graças por este dom maior de Deus e por esta grande bênção que é concedida à Igreja para bem do Mundo.

 

Os novos diáconos e os novos presbíteros lembrar-se-ão sempre que foram ordenados no Ano da Misericórdia e que serão particularmente chamados a ser “misericordiosos como o Pai”, a proclamar “felizes os misericordiosos” e a “praticar as obras de misericórdia, com alegria!”, como nos propomos no Plano de Pastoral da nossa Diocese.

2. Devemos este dom e agradecemos esta bênção a Deus que continua a acordar no coração humano uma imensa generosidade para acolher o Seu chamamento e para viver a alegria da missão que a cada um confia.

Devemos este dom e agradecemos esta bênção às crianças, jovens e adultos que, em diferentes etapas do tempo e nos mais diversos percursos de vida, ouvem a voz de Deus e Lhe abrem o coração.

Devemos este dom e agradecemos esta bênção às famílias que, por entre a surpresa do encanto ou a dificuldade da aceitação do projecto de Deus para os seus filhos, se decidem a fazer caminho com eles;

Devemos este dom e agradecemos esta bênção às comunidades cristãs e aos seus agentes pastorais, particularmente os catequistas e professores, que se apercebem da passagem serena e tantas vezes discreta de Deus pelas suas terras e acompanham diligentemente aqueles que Ele aí chama.

Devemos este dom e agradecemos esta bênção à Pastoral Vocacional, aos Seminários e à Universidade Católica que semeiam, cuidam e trabalham para que as vocações floresçam e as decisões dos que são chamados se consolidem.

Devemos o dom e agradecemos a bênção dos novos diáconos e presbíteros, herdeiros do nosso futuro, sobretudo aos sacerdotes de hoje, de quem tantas vezes primeiramente Deus se serve como mediadores da vocação, mensageiros da Sua voz e testemunhas do Seu amor por cada um de nós.

3.Felizmente, nestes tempos mais recentes, temos sentido reavivar a esperança de novas vocações para o ministério ordenado e para a vida consagrada, religiosa e missionária neste terreno vocacionalmente fecundo que é a Diocese do Porto. Todos os anos têm surgido novas vocações jovens e adultas. Todos os anos têm transitado alunos do Seminário do Bom Pastor para o Seminário Maior. Todos os anos temos tido a graça de novos sacerdotes. E, querendo Deus, a partir do próximo ano serão ordenados os primeiros alunos provenientes do Seminário Redemptoris Mater.

Convido todas as paróquias, comunidades religiosas, serviços diocesanos e movimentos apostólicos a intensificarem a oração e a gratidão e a continuarem a acolher com alegria todos quantos Deus chama.

A nossa presença na celebração solene do próximo dia 10 de julho dirá aos novos diáconos e presbíteros a alegria, a gratidão e a esperança de toda a Igreja do Porto. Só Deus conhece quanto a Igreja do Porto precisa de todos, dos que sempre a serviram com inexcedível doação e dos que agora iniciam o ministério ordenado com encantadora generosidade.

Lembro, também, com igual alegria e acrescida gratidão o jubileu sacerdotal de 25 anos de ordenação presbiteral dos Padres Álvaro Manuel Moreira da Rocha, Amaro Gonçalo Ferreira Lopes, Joaquim Domingos da Cunha Areais, José Augusto Nogueira de Oliveira e José Manuel da Rocha Araújo, que celebraremos na Sé do Porto, no próximo dia 14 de julho, às 11 horas, e dos 50 anos de ordenação presbiteral de D. António Maria Bessa Taipa e do Padre Agostinho Cesário Jardim Moreira, que celebraremos igualmente na Sé do Porto, no dia 15 de agosto, às 11 horas.

Unimo-nos e reunimo-nos, em oração e em gratidão, à volta do altar da Eucaristia neste tempo de dom e de bênção porque a alegria da vocação e da generosidade dos que vão ser ordenados e a alegria da fidelidade e da perseverança dos que celebram 25 e 50 anos de ordenação são, também, o júbilo de toda Igreja do Porto.

Porto, 27 de junho de 2016

António, Bispo do Porto

 
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Quer receber as nossas novidades no seu e-mail? Subscreva a nossa Newsletter especificando o seu endereço de e-mail:

D. António Francisco dos Santos fala sobre o padre Joaquim Cunha, sacerdote mais idoso de Portugal

Decreto Sobre as Virtudes do Servo de Deus ANTÓNIO JOSÉ DE SOUSA BARROSO Bispo do Porto e Missionário
2017-07-25 11:34:15
Texto
2017-07-20 17:35:49
Word
2017-07-20 17:35:10
Powerpoint + PDF
2017-07-11 14:08:03
Faixa publicitária
Faixa publicitária


© Diocese do Porto, Todos os Direitos Reservados.